CARTAS e MENSAGENS

CARTAS e MENSAGENS

 ORAÇÃO E CUIDADO

Queridas irmãs!!!

Que tempos são esses que vivemos com o COVID-19? As notícias desse vírus, causando mortes na China, chegaram pertinho de nós. As vítimas estão nas nossas cidades e em tantas outras espalhadas pelo mundo. Nós, da diretoria do DMO Brasil, estávamos pensando em promover um encontro de mulheres de todo o Brasil e agora somos todas forçadas ao isolamento. Atravessamos um tempo de muitos desafios, começando por manter nossa sanidade física, mental e espiritual em meio a notícias tão devastadoras. Além do vírus, escutamos notícias de pessoas cobrando mais pelos produtos de primeira necessidade, querendo ganhar apesar do sofrimento dos outros, gente egoísta estocando itens, mesmo que falta para os outros. Em meio à crise, pessoas disseminando mensagens de ódio e medo.

Os governos nacionais, estaduais e municipais, instituições de saúde, mídia, organizações sem fins lucrativos, instituições religiosas, universidades tem suas responsabilidades, mas também nós temos responsabilidades individualmente.

Justin Welby – Arcebispo de Cantuária – nos lembra que “em tempos difíceis, temos uma escolha. Podemos nos concentrar no medo, em nós mesmos e no que não podemos fazer. Ou podemos nos voltar para Deus e deixar Deus nos levar a orar pelo mundo, e deixar a oração fluir para dentro de nós, tomando ações criativas e amorosas”.

Durante a peste negra o Martinho Lutero escreveu: “Pedirei a Deus para misericordiosamente proteger-nos, então farei vapor, ajudarei a purificar o ar e administrar remédios e tomá-los. Evitarei lugares de pessoas onde minha presença não é necessária para não ficar contaminado ou contaminar outras. Vejo que essa é uma fé que teme a Deus porque não é insensata e nem tenta a Deus”.

Como mulheres do movimento global do Dia Mundial de Oração, nada mais apropriado do que seguir nosso lema Oração com informação e ação com oração.

Façamos cada dia nosso um dia de oração, comecemos lembrando das pessoas mais velhas e vulneráveis, das que estão sofrendo com a doença. Lembremos daquelas pessoas que estão cuidando dos doentes, lembremos daquelas que estão buscando uma cura para a doença. Oremos para que Deus conceda sabedoria àquelas pessoas que precisam tomar decisões.

Continuemos o dia em oração, enquanto assumimos nossa responsabilidade diante da crise do COVID-19, nos mantendo em casa, cuidando de nossa saúde e de quem está próximo com boa higiene, boa alimentação, com exercícios, com atividades lúdicas. E se tivermos condições, apoiar pessoas ou instituições que prestam auxílio emergencial para grupos em situação de vulnerabilidade extrema.

Com tanta informação vinda de todos os lados, peçamos a Deus que nos ajude a discernir. E que transmitamos somente aquelas informações que sejam confiáveis e úteis. Oremos para que a desinformação seja contida, e o medo não se aposse das mentes e corações das pessoas.

Nossos corpos podem estar isolados, mas que nossos corações possam alcançar onde não podemos tocar com as mãos; vamos nos manter socialmente conectadas, quando tivermos que estar socialmente distantes; compartilhem suas orações e ações no nosso canal do facebook ou por e-mail.

Que o amor e a compaixão abundem enquanto caminhamos por esse tempo de desafios.

Abraço fraterno da Diretoria do Dia Mundial de Oração – Brasil  
Leda Muller Witter – Presidente DMO
Março/2020


 "Conscientização Cristã e a Oração"

       E quando orarem, não fiquem sempre repetindo as mesmas coisas,
como fazem os pagãos. (Mt.6:7)

            Jesus nos ensina a orar sempre e com perseverança.

            Orar não é simplesmente repetir as mesmas palavras sem estar consciente do que se está falando. No tempo de Jesus, era costume dos pagãos orarem usando muitas palavras, na esperança que de tanto amolar os seus deuses, venceriam pela cansaço da repetição, e eles seriam atendidos. Jesus nos ensina que não importa a quantidade das palavras, mas importa muito a nossa atitude, o nosso coração. As nossas palavras precisam sair do nosso coração e não apenas da nossa boca. Quando sempre repetimos as mesmas coisas, a oração vira um ritual, vazio.

Como orar sempre, sem repetir sempre a mesma coisa?

 Para isso precisamos de informação. Como cristãos precisamos orar e vigiar. Precisamos estar informados do que acontece no mundo e sensíveis do que acontece ao nosso redor. Gosto muito do lema do Dia Mundial de Oração: oração com informação e oração com ação. Oração e ação são inseparáveis. A oração leva a ação. A oração precisa de informação para não ser repetitiva.

Orar não é só pedir, mas também se envolver.

            Como cristãos precisamos orar e agir. Orar não é só pedir a Deus e Deus providencia, como se Deus fosse o nosso serviçal, sempre às ordens e a nossa pronta disposição. É nosso dever orar, mas precisamos orar e fazer a nossa parte. Orar, também, é se colocar a disposição da vontade de Deus. Às vezes, a resposta a nossa oração, está nas nossas mãos que podem ajudar e nos nossos pés para caminhar em direção a resolução do que se está pedindo. Quando oramos em favor das pessoas doentes, não é suficiente só orar, precisamos também nos informar se a pessoa doente está precisando de alguma coisa. Orar é se informar e agir. A oração sincera não termina no amém.

            Acho lindo o exemplo de Neemias que nasceu no exílio. Quando foi informado que Jerusalém ainda estava em ruínas e abandonada, ele sofreu, sentiu muito, mas não ficou só com o ‘sinto muito’. Ele orou a Deus e se dispôs a ajudar a reconstruir a cidade. Toda ocasião pode ser um motivo de oração e de trabalho.

Tudo o que você ouve e vê pode ser um motivo para oração.

            O apóstolo Paulo escreveu: a) orem no Espírito em todas as ocasiões. (Ef. 6:18); Orai sem cessar. Em tudo, daí graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Tes 5:16-18). Orai sem cessar é orar com frequência, mas, também, é ter consciência de nossa dependência de Deus. Orar faz parte da vida de um Cristão, não é possível ser cristão e não orar. Na oração reconhecemos que somos dependentes de Deus.

Devemos orar com perseverança e disciplina

            Sempre devemos ser perseverantes na oração. Jesus nos ensina que não devemos desanimar na oração.

            Para nos disciplinar é importante termos alguns horários fixos, algum planejamento, nem que seja mínimo, para orar, pois se deixamos para orar apenas quando estamos com vontade, corremos risco nos perder nas obrigações e também de deixar de ter momentos preciosos de comunhão com o Pai. Nem sempre temos vontade de orar, por isso mesmo, temos de nos disciplinar e, quando possível, mantermos horários fixos, metas e objetivos, para nos lembrarmos que Deus é maior do que tudo que se passa. Conseguimos horário para trabalhar, estudar, ir no salão de beleza, porque também não conseguimos um horário para ter comunhão com o nosso Pai? 

 Orar sempre..... em tudo dai graças

            No ensino paulino, neste conhecido texto sobre a obrigação de orar, o apóstolo não disse para dar graças por tudo. Por exemplo, não podemos agradecer pelo holocausto e pela tragédia em Brumadinho ou pelo assassinato de uma criança inocente. Há coisas que acontecem na vida que nos roubam a alegria, mas sempre haverá motivos para nos alegrarmos e sermos agradecidos, mesmo enfrentando situações adversas e amargas. Graças. A oração nos ajuda a mudar de perspectiva e a ver as coisas com outro olhar. É este o ensino, orar sempre, agradecer sempre pelas bênçãos que Deus derrama sobre nós. 

Oração como diálogo e não monólogo

 Orar é falar com Deus. Falar pressupõe dialogar. Num diálogo, os dois falam e se comunicam. Muita vez, fazemos da oração apenas um monólogo.

            O que observo é que nas orações só a gente quer falar. Precisamos aprender também a ouvir. Depois de orar, ficar um tempinho em silêncio. Quando a gente ora, a gente espera uma resposta. Se não, não precisa orar. E esta resposta pode chegar breve ou até demorar.

            O apóstolo Paulo nos ensina: “Orem no Espírito em todas as ocasiões e estejam atentos”. (Ef. 6.18)

            Que Deus abençoe a todos para que orem sempre, sem desanimar. 

Revda. Grytsje Couperus;
pastora na IPI Botucatu, SP e primeira secretaria do DMO Brasil


 "A prática da oração"

         Um neurologista suíço Theodor Bovet, entendendo a importância do tratamento de seus pacientes com “problemas neurológicos”, procurou combinar seus conhecimentos de neurologia com calor humano, compreensão, vida digna e religião. Procurou conduzir essas pessoas pelo caminho da oração. 

Sugeriu-lhes algumas regras bem práticas:

  • Separe diariamente alguns minutos para estar só. O seu corpo, a sua mente, o seu coração necessitam de relax, silêncio, meditação.
  • Conte a Deus tudo o que você guarda no coração. Fale-lhe com simplicidade e naturalidade. Fala-lhe como costuma falar, sem usar palavras difíceis.
  • Exercite o diálogo com Deus, sempre que tiver possibilidade, e com os olhos fechados dialogue com Deus.
  • Creia firmemente que Deus está com você e o ajuda. Quando orar, creia com firmeza que Deus vai abençoá-lo.
  • Quando orar por alguém, ore com a convicção de que a sua oração atravessará terras e mares, e protegerá e envolverá com o amor de Deus as pessoas que você ama.
  • Quando orar procure ter pensamentos bons.
  • Procure estar em prontidão para aceitar a vontade de Deus.
  • Quando orar coloque tudo nas mãos de Deus. Peça a Ele para dar-lhe forças para você poder fazer tudo o que estiver ao seu alcance. Então se entregue confiante a Deus.
  • Ore por aqueles que não lhe querem bem, e por aqueles que foram grosseiros com você. Isso lhe dará forças para perdoar.
  • Ore diariamente por sua cidade, por seu país, pela PAZ, pelo meio ambiente, por mais justiça. 

Nós podemos ser fontes de paz, de justiça e de amor. Em harmonia com a fonte de vida, unidos ao amor infinito que vai se expandir através de nós. A melhor maneira de viver dando frutos, é permanecer ligado na videira. Na origem da frutificação está uma profunda relação com Deus. Por isso a oração na vida do ser humano é muito importante. Então vamos ORAR.....!!!! 

Autor desconhecido


 "Tempo de Páscoa"

          Queridas amigas do Dia Mundial de Oração

          Com as nossas irmãs da Eslovénia, cantamos alegremente: "Venham, a festa está pronta". A canção nos apresentou o tema baseado no evangelho de Lucas, capítulo 14: "Venham - tudo está pronto". A celebração foi linda. O primeiro feedback sobre o programa que eu ouvi foi positivo e emocionante. Todas as participantes são agradecidas.

          Mas depois da festa, voltamos ao tempo litúrgico da Quaresma. Na França, as igrejas convidam os cristãos a focar suas vidas em Deus, a tornar-se conscientes do lugar de Deus em suas vidas, famílias, sociedade e no mundo. Há muitas conferências e concertos. Todos eles preparam nos para a semana Santa na qual vivemos a passagem da dor da morte para a alegria da ressurreição.

          O sofrimento está presente em todas as suas formas em nosso mundo. A violência é onipresente. Mas a nossa convicção como cristãos hoje é afirmar firmemente que a morte, a violência e o sofrimento não terão a última palavra. Nós proclamamos toda vez que repetimos em oração a confissão de nossa fé que "Jesus morreu, desceu ao inferno e ressuscitou no terceiro dia.”

          Sabemos firmemente que a morte nunca mais terá a última palavra. É por isso que nós podemos incansavelmente dizer NÃO à violência e NÃO ao estupro. A Campanha das Quintas-feiras em Preto encabeçada pelo Conselho Mundial de igrejas e apoiada pelo dia mundial da oração pode ser um sinal de nossa esperança.

          Irmãs e irmãos, encorajo-vos sinceramente a aderir ao movimento de espalhar a esperança e dizer NÃO a todas as formas de violência. Juntos, podemos trazer as mudanças que o nosso mundo precisa desesperadamente.

          Na manhã de Páscoa, desejo que o vosso coração se encha de alegria, pois o túmulo é encontrado vazio em Jerusalém: "Jesus crucificado, ressuscitou, ressuscitou de facto".

          Recebam a paz que só Deus dá!

          Com toda a minha amizade e amor,

Laurence Gangloff, Presidente do DMO Internacional
Traduzida pela Grietje Couperus, 2a Secretária, DMO-Brasil


 "Sejam agradecidos diante de Deus, com ações de Graças"
Fp 4.6

            Ò Senhor Deus, que meu ser te louve! Que louve o santo Deus com todas as minhas forças! Que todo o meu ser louve o Senhor, e que eu não esqueça nenhuma das suas bênçãos(Sl 103. 1 – 2 NTLH).  

            O DMO (Dia Mundial de Oração), tem o lema de Informar, Orar e Ação.

            A palavra chave é Ação. A pergunta que surge é: Como viver uma vida repleta de ações de graças? 

            A palavra gratidão é a chave de duas outras palavras que são fundamentais para compreendermos o verdadeiro sentido do dia de ação de graças: Coração agradecido. É muito mais do que apenas simples palavras. 

            Ação de graças, como a própria palavra já diz, nos faz olhar para nossa vida, questionando: o que eu estou fazendo para o meu próximo. O que eu estou fazendo em prol de uma sociedade mais justa, mais humana! 

            Mas tem um grande detalhe neste comportamento. Pratico realmente a gratidão? Isto não funciona de vento em poupa. È preciso saber por que eu quero viver uma vida cheia de práticas de ações de graças? Tenho motivos? O salmista Davi encontrou o motivo para agradecer em seu Deus e até falou com a sua alma para que ela não esquecesse de todas as bênçãos que recebera e recebe do Deus Benfeitor. Deus nos faz pensar diferente. Deus nos faz agir diferente. Esta ação de Deus na minha vida, sem dúvida, se direciona também para o meu próximo. O abraço de Deus nos leva a abraçar o próximo. 

            Isto é ação de graças. Não acontece uma vez por ano. Mas todos os dias do ano na minha vida. Em qualquer lugar que estou. Não importa a função, o cargo que exerço. Como filho e filha de Deus, abraçado por Deus, motivado por Deus, eu vou servir, eu vou agir, eu vou viver uma vida de ações de graças. 

            É claro que o ser humano tem certa dificuldade de aceitar e praticar isto.  Diz a Palavra de Deus: ”Não sejam apenas ouvintes, mas praticantes da palavra”. Precisamos colocar para fora o grande tesouro que temos em nosso coração em querer ser pessoas que amam ajudar, informar e orar. Que não falte a nossa oração e ação para com todos. 

            Desejo um Natal de luz e 2019 com muitas bênçãos. 

Esther Susana Menke Renner
Elemento de ligação do DMO


 Advento é relembrar...

            Advento é relembrar que Deus é fiel e que cumpriu a sua promessa de mandar o Messias, o Emanuel, o Deus conosco. 

            Advento é relembrar a importância das mulheres para Deus. Ele escolheu uma mulher para ser a mãe do Messias e mandou um anjo para lhe contar.

            Advento é relembrar que Deus usa também as mulheres para ser uma bênção para as pessoas.

            Advento é tempo de vigilância e de oração, tempo de perceber e experimentar a presença de Deus e a sua visita constante às nossas vidas. Deus vem agora a nós de muitas maneiras, através dos acontecimentos e das pessoas. Seja, pois, este tempo um estímulo para estarmos com os olhos e os corações bem abertos, vigilantes e atentas à descoberta da presença de Deus nas nossas vidas, na Igreja, na Sociedade, na família, no trabalho, na escola, na dor e na alegria.

            Advento revela-nos quem é Deus: um Deus que continuamente se aproxima para abençoar mulheres e homens. Não é um Deus ausente e desinteressado da nossa vida, mas é um Pai que vela por nós, com amor e carinho.

            O advento será, assim, um tempo para reconhecermos Deus tão próximo, que nos impele a agir, a reagir, a dar resposta ao Seu amor, a saborear a alegria de ser filhos e filhas de Deus.

            Advento é lembrar que Deus nos ama.

            Advento é relembrar as palavras de Cristo: “Não vou deixá-los abandonados, mas voltarei para ficar com vocês.” (João 14:18)

            Advento é relembrar que como Maria devemos estar prontas e dispostas para crer e agir, porque todas as coisas são possíveis pela fé.  

            Em nome da diretoria desejo a todas um Advento e um Natal feliz e abençoado por Deus.

Revda. Grytsje  Couperus
Igreja Presbiteriana Independente de Botucatu


 Eu sou mulher negra e formosa,
porque o sol resplandeceu sobre mim.

Voltemos nossa atenção para Sulamita, protagonista do Livro “Cânticos dos Cânticos”, no Antigo Testamento da Bíblia Sagrada, como mulher negra, cuja negritude não costuma ser evidenciada pela maioria das igrejas cristãs. A leitura do Livro em foco, no entanto, é uma oportunidade para enxergarmos, com alegria, o protagonismo de uma jovem mulher negra, com iniciativa e protagonismo na vivência da plenitude do amor por seu amado. 

Novembro, Mês da Consciência Negra, é ocasião para repensarmos nossos aprendizados sobre esse Livro e a tentativa constante da maioria das tradições cristãs de silenciar ou invisibilizar duas questões importantes no escrito: a negritude da principal personagem e o amor eros evidenciado no texto. 

Por que algumas tradições negam essas duas questões? Qual o problema em ser mulher negra? Qual o problema em viver a inteireza do amor eros? Só é problema para uma sociedade patriarcal e racista que desclassifica as pessoas por serem mulheres e negras, e que insiste em coisificar os corpos dessas que são desclassificadas, impondo controle sobre esses corpos, dizendo o que podem ou não fazer; e que insiste em classificar também o amor. 

Como mulheres cristãs o jeito de pensarmos, fazermos e vivermos Teologia é um exercício constante para que sejamos todas teófilas, ou seja, amigas de Ruah (conhecida popularmente como Deus). Esse exercício considera igualmente importantes: Bíblia – Tradição – Razão (conhecido tripé de Richard Hooker, teólogo anglicano do século XVI). 

Algumas teólogas, também teófilas, como Maricel Mena Lopez[1], pensam e escrevem Teologias considerando nossos testemunhos como mulheres, em nossas diversidades, levando em consideração alguns importantes elementos: 

  1. A vida cotidiana: nossas vidas como mulheres importam a Ruah, que valoriza nossas experiências cotidianas;
  2. O corpo como lugar de revelação: em nossos corpos experimentamos a revelação de Ruah, que nos ampara em nossos sofrimentos diários, mas também se alegra conosco e nossas conquistas e superações;
  3. A própria subjetividade: cada qual de nós tem sua própria experiência com Ruah e essas experiências nossas devem ser respeitadas e valorizadas;
  4. A tradição oral como memória histórica da resistência: somos herdeiras de uma fé viva de pessoas que já morreram e cujos testemunhos de resistência nos fortalece e nos ensina a também sermos resistência;
  5. O significado das antepassadas e dos antepassados: reconhecemos nossos e nossas ancestrais como inspiração para nossa caminhada de vida e fé;
  6. Uma consciência ecológica: como únicas capazes de gerar vidas em nossos corpos, temos consciência de que a terra e nós temos muito em comum, pois parimos vidas;
  7. A busca de uma vida digna: nossa consciência de que somos únicas capazes de gerar vidas, temos a responsabilidade de anunciar vida plena e digna para todas as pessoas, não apenas para nós mesmas. 

Convido-nos a assumirmos esses passos, assumindo-nos como amigas e filhas de Ruah, que não faz acepção de pessoas por serem mulheres ou homens, pobres ou ricas. Busquemos ler a Bíblia valorizando os testemunhos de vida e fé das mulheres que nos antecederam na fé, bem como de nós mesmas, em nossas vidas hoje, em nossas vidas cotidianas. 

Como Sulamita, assumamos nossos protagonismos na vida, na lida e no amar! 

Enegreçamos nossas consciências!

Revda. Dra. Lilian Conceição da Silva
Clériga da Diocese Anglicana do Recife e
Coordenadora de Comunicação e Publicações do Centro de Estudos Anglicanos (CEA)

[1] Ver o texto Hermenêutica Negra Feminista: um ensaio de interpretação de Cântico dos Cânticos 1.5-6, disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2013000300023>; e também Hermenêutica Bíblica Negra Feminista, da mesma autora. 


 A Amizade

A amizade não se adquire senão pela amizade.

A amizade é um prazer de todas as estações da vida.

Quem não tem experimentado a amizade, não tem ainda vivido.

Tirar das pessoas a amizade, seria tirar o sol ao mundo.

A amizade é um contrato tácito entre duas pessoas sensíveis e virtuosas.

As amizades, como as árvores bem cultivadas, dão frutos mais copiosos.

Nada há tão delicado como a amizade: sua sensibilidade é extrema, um nada a afeta, a reserva a fere, a desconfiança mata.

A amizade dá direito de contradizer, mas ela impõe o dever de não ofender pela contradição.

Não se pode ir longe sem amizade, se não se está disposto a perdoar pequenos defeitos.

A amizade que pode acabar, nunca foi verdadeiramente amizade.

A amizade dobra a existência, como a sinceridade e o amor a prolongam.

Um dos maiores presentes que Deus fez às pessoas foi a amizade.

Os cuidados da amizade adoçam a alma e amenizam a vida, como os perfumes alegram o coração.

Ore pelas suas amizades e cultive-as!!

Autor desconhecido 

A Diretoria do Dia Mundial de Oração deseja um feliz dia da amizade!


 Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos

            Este tempo de oração é promovido mundialmente pelo Conselho Pontífice para Unidade dos Cristãos (CPUC) e pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e acontece em períodos diferentes nos dois hemisférios.    

            No Brasil, o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) lidera e coordena as iniciativas para a celebração da Semana em diversos estados, que deve acontecer no período de 13  a 20 de maio. 

            Para este  ano,  o material para as reflexões e celebrações litúrgicas  foi preparado pelas Igrejas do Caribe, sob o tema  “A mão de Deus está no meio de nós” (Êxodo 15:1-21) 

            Resgatando a história e as consequências do colonialismo, tanto no Caribe quanto na América Latina, a SOUC 2018 convida para refletir sobre o trabalho análogo à escravidão que, no século XXI, fere tanto a humanidade quanto a imagem de um Deus de amor e liberdade. A escravidão e o trabalho humano degradante é um desafio contemporâneo a ser assumido pelas igrejas.            

            Os pedidos para o material da SOUC 2018 poderão ser encaminhados para o e-mail: conic@conic.org.br

            Estimulamos  a irmandade do Dia Mundial de Oração a se unir e orar por uma unidade cada vez mais plena, que é o desejo do próprio Cristo. (Jo 17:21) 

Mais informações poderão ser obtidas no portal do CONIC - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs no Brasil


 Os sinais da Páscoa

Quando alguém me pergunta sobre os sinais da Páscoa em nosso mundo;
não calo, mostro-lhe onde e quando acontece hoje o que começou
naquele tempo, quando a Páscoa teve seu início.

Onde uma pessoa renova sua confiança em outra pessoa
e juntas constroem uma ponte para vencer o ódio e a inimizade,
ali você encontra sinais da Páscoa.

Onde uma pessoa não desiste no final,
mas ousa recomeçar para superar dor e luto,
ali você encontra sinais da Páscoa.

Onde a pessoa não silencia na escuridão,
mas cantarola a canção da esperança,
para vencer o silêncio mortal,
ali você encontra sinais da Páscoa.

Onde a injustiça é denunciada,
e a própria culpa assumida para vencer a omissão,
ali você encontra sinais da Páscoa.

Onde uma pessoa ousa falar a verdade,
para vencer a aparência e a mentira,
ali você encontra sinais da Páscoa.

Onde uma pessoa nada contra a correnteza
e carrega os fardos de uma pessoa desconhecida,
para vencer necessidade e sofrimento,
ali você encontra sinais da Páscoa.

Onde alguém desperta e tira você da inércia
e descobre com você um caminho novo para vencer grandes obstáculos,
ali você encontra sinais da Páscoa.

Fonte: Páscoa: a vitória da vida. Editora Sinodal, 2002.

Em nome da diretoria do Dia Mundial de Oração,
desejamos um abençoado tempo de Páscoa!!!!


 Mensagem de Páscoa
Comitê Internacional do DMO

CRISTO RESSUSCITOU!  VERDADEIRAMENTE ELE RESSUSCITOU!

Não tenha medo. Eu sou o primeiro e o último. Sou Aquele que vive. Estive morto, mas, agora estou vivo para todo o sempre! E tenho as chaves da morte e do hades”. Apocalipse 1:17-18

Hoje uma amiga me ofereceu um ovo decorativo. Ela sabe que amo ovos; não somente de chocolate ou de galinha, mas, também, amo os ovos de cerâmica, de pedra ou de madeira.

Os ovos são símbolos de vida nova em muitas culturas. Na tradição cristã o ovo da páscoa simboliza a ressurreição de Cristo. Este símbolo fala ao mesmo tempo sobre a morte e a vida. Elas andam juntas.

O ovo que recebi hoje está decorado com a pintura de três peixes. Aqueles peixes simbolizam a Trindade Santa, embora os três peixes também relembrem a tripla proclamação cristã, usada na liturgia palestina: “Cristo ressuscitou, Ele verdadeiramente ressuscitou!”

Quando proclamamos pela primeira vez: “Ele ressuscitou! Ele verdadeiramente ressuscitou!”, afirmamos que não temos medo nem da morte e nem do hades, o mundo dos mortos, porque Jesus já nos precedeu neste caminho.

Quando proclamamos pela segunda vez: “Ele ressuscitou! Ele verdadeiramente ressuscitou!” afirmamos que testemunhamos através das nossas vidas, que o Deus da Criação nos chama para estabelecer novas relacionamentos, novos olhares e um novo estilo de vida comunitário.

Quando proclamamos pela terceira vez: “Ele ressuscitou! Ele verdadeiramente ressuscitou!”, como o povo cristão da Palestina, confiamos que com a ajuda do Espirito Santo, nós, mulheres cristãs, podemos transformar este mundo, trabalhando pela educação e lutando pela eliminação do sequestro, do abuso e da violência contra crianças e mulheres.

Devemos trabalhar por um mundo onde todas as pessoas vivam com dignidade, onde a pobreza é erradicada, onde as ações pela paz e pela reconciliação suplantem a intolerância e a ignorância.

Confiamos que o Espirito Santo nos conduz pelo caminho da justiça neste mundo.
Assim, irmãs e irmãos, não tenhamos medo, mas acreditemos e proclamemos com alegria: “Cristo ressuscitou! Verdadeiramente Cristo ressuscitou”.

Feliz e abençoada pascoa!

Comitê Internacional do DMO
Laurence Gangloff 


 Mensagem de Páscoa - Original
Comitê Internacional do DMO

Do not be afraid! I am the first and the last, and the living one. I was dead, and see, I am alive forever and ever, and I have the keys of Death and of Hades.” Revelation 1,17-18 (NRSV)

Today, a friend of mine offered me a decorative egg. She knows it. I love eggs! Not only the chocolate ones or the real ones, but I also love the ceramic, stone, or wooden eggs.

Eggs have been a symbol of new life in many cultures, and in the Christian tradition the Easter egg represents the resurrection of Christ. This symbol speaks about death and life together.

The egg I received today has three fishes painted on it. Those fishes symbolize the Holy Trinity. But the three fishes are also a reminder of the triple Christian Palestinian proclamation "Christ is risen, He is risen indeed!"

In proclaiming “He is risen” and “He is risen indeed,” we affirm that we are not afraid of Death and Hades, the world of the dead. Jesus preceded us in this way.

In proclaiming, for the second time, “He is risen” and “He is risen indeed,” we affirm that we want to testify through our life, that the God of Creation calls us to imagine new relations, new eyes, and a new way of life.

In proclaiming, for the third time, like the Christians in Palestine -- “He is risen” and “He is risen indeed,” we trust that with the help of the Holy Spirit we, as Christian women, can transform this world. We can engage in educating and advocating for the elimination of rape and violence against women and girls. We can enable a world where everyone lives in dignity, where poverty is eradicated, and that the actions for peace and reconciliation supplant intolerance and close-mindedness. We trust that the Holy Spirit can push us on the road for world justice.

So, sisters and brothers, do not be afraid, just believe and proclaim joyfully “Christ is risen, He is risen indeed.”

Happy and blessed Easter to all of you,
Laurence Gangloff


 O DMO em 2017

Que daremos ao Senhor por todas as suas bênçãos?

Nós, do DMO Brasil, somos imensamente gratas a Deus e a todas as pessoas que nos ajudaram no ano de 2017.

Somos gratas ao DMO das Filipinas pela abençoada liturgia do culto de março, cujo tema foi: “Estou eu sendo injusto com você?”. Muitas igrejas comemoraram o Dia Mundial de Oração com esta bela liturgia, pois, recebemos muitas fotos e relatórios que foram compartilhados.

 Nossas irmãs aguardam este dia de culto do DMO como um tempo especial. Estes cultos são lindos e inspiradores, nos quais podemos conhecer a realidade de outros países e sentir-nos unidas com todas as nossas irmãs ao redor do mundo.

Somos gratas ao movimento ecumênico. O número de igrejas que está celebrando os cultos de DMO de forma ecumênica está crescendo.

Somos gratas por conhecer mais de perto, muitas mulheres de tradições cristãs diferentes e percebermos que temos muito mais coisas em comum que nos unem do que coisas diferentes que nos separam.

Somos gratas pelas ofertas levantadas nas igrejas. Com estas ofertas alguns projetos sociais foram beneficiados. Assim, não só com as nossas orações, mas, também, com as nossas contribuições, abençoamos as pessoas vulneráveis da nossa sociedade.

Somos gratas pela realização da bela Assembleia Internacional, que aconteceu este ano no Brasil, na cidade de Foz de Iguaçu, PR, cujo tema foi: “Buscando a Sabedoria para Cuidar da Criação de Deus”. Foram muitos anos de preparação.

Somos gratas às pessoas que nos ajudaram na realização da Assembleia. Estivemos reunidas em mais de 185 mulheres, vindas de 84 países. Na assembleia encontramos, também, algumas mulheres que prepararam a liturgia do DMO em 2017, Cuba, em 2018, Suriname, e do ano 2019, Slovenia. Juntas aprendemos as músicas que vamos cantar em nossas igrejas nas celebrações dos anos 2018/19.

Somos gratas porque tivemos a oportunidade de conhecer pessoalmente tantas mulheres de outros países, que como nós, também, se reúnem em oração. Como foi gostoso louvar a Deus, trocar experiências e compartilhar temores e esperanças!

O ano de 2017 foi um ano de muito trabalho para nós do DMO Brasil, mas estamos chegando ao seu final com as mãos cheias de bênçãos.

Não somos merecedoras, mas trazemos diante do altar de Deus, a nossa gratidão e a nossa disposição para mais um ano de trabalho que aproxima. O ano de 2018 será muito especial pois o DMO no Brasil completa 80 anos de oração e ação.

                Feliz Natal e abençoado Ano Novo!

Revda Grytsje Couperus, 2ª Secretaria do DMO Brasil


 Oremos pelo Brasil - Sara Senhor esta Nação!

              

Estamos enfrentando uma grave crise institucional, econômica e política no Brasil. Há corrupção e desmando em todos os setores e lugares. 

Várias regionais do Dia Mundial De Oração - DMO já estão orando todos os dias às 10h00 e às 22h00  por nosso país. 

Nós da diretoria do DMO queremos convocar as nossas valorosas mulheres para buscarem a benção de Deus numa grande corrente de oração. Unamos as  nossas forças e as nossas orações e façamos subir  um  forte clamor aos céus.

O texto bíblico que nos inspira nesta jornada de oração é  “...se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.  (2 Crônicas 7:14)


Carta Circular do DMO

Janeiro/2016

Irmãs e irmãos em Cristo! Paz e Bem!

“O ser, o ter e o fazer são como triângulo, no qual cada lado serve de apoio para os demais. E não há conflito entre eles”. (Shakti Gawain)

Com esse jeito de pensar, vos contato novamente. O Ano Novo já está a pleno vapor. Uns em merecidas férias, outros na ativa, ansiando por elas e, nesse compasso, também estamos nós, povo do Dia Mundial de Oração – DMO.

Leia a circular completa, clicando aqui...

 


Mensagem de Ano Novo

Confira abaixo a mensagem de Ano Novo da presidente do DMO - Brasil

natal e advento

Amadas irmãs e irmãos em Cristo Senhor!

A data do Natal recém passou. Ainda tenho muito presente em minha memória, as tantas mensagens recebidas. Também eu, pelo DMO, havia montado uma. Desisti de enviar. Seria só mais uma.

Propositadamente, deixei para fazê-lo pós Natal. Observo: o que sobrou do Natal? Das mensagens tão lindas, das festas, encontros de famílias? Das celebrações nas igrejas...com suas pregações e teatros...Tudo preparado com tanto esmero... A correria voltou, as igrejas estarão outra vez  vazias.

AQUI para continuar lendo


 

 CONFIRA A ULTIMA CIRCULAR DA PRESIDENTE DO DMO - BRASIL DE JUNHO DE 2014. CLIQUE AQUI